PDFImprimirE-mail

Livros que podem mudar sua vida. Para sempre !

AddThis Social Bookmark Button

Espiritismo

Siga-nos no Twitter

faceb

 

 

Livros que você não pode deixar de ler.

Os livros mais importantes são todos de Allan Kardec. Depois de ler a Codificação Espírita, estaremos aptos para lermos qualquer livro e reter  as boas informações para a nossa evolução. Isso é o mais importante.


 

Coleção:

A história triste.

colecao"A longa e complexa história é constituida com a precisão e a acuidade de um grande mestre. É um livro maravilhoso, belo e nobre. Sua arcaica linguagem e o frequente uso de colocações fraseológicas indiretas exigem maior atenção. O sentido é, às vezes, tão profundo que somente considerável estudo o tornará compreensivel." (The New York Times)

Esta é possivelmente, uma das mais geniais obras já psicografadas. Narrando a vida de Jesus com a precisão de uma testemunha, o espírito Patience Worth constrói uma belíssima história.

Li alguns livros espíritas. Mas não imaginei que pudesse me surpreender com um essa coleção escrita na década de 20, e nos USA! Um estilo literário único no mundo que surpreendeu críticos e especialistas da época.
Até hoje causa espanto em quem tem acesso à coleção. Achei um pouco difícil nas 30 páginas iniciais. Depois deslanchei, algo como aprender a andar de bicicleta.
O último livro, que na verdade é um apanhado sobre a médium, acontecimentos á época ligados ao estrondoso caso nos USA, comentado por Hermínio C. Miranda e Ernesto Bozzano.
Aconselho fortemente a iniciar por esse livro e não pela coleção propriamente dita. Vai te ajudar a entender o romance, creia nisso. Et Cáritas.
 

Palavras do tradutor, prof. Herminio C. Miranda, em entrevista à Folha Espírita (julho/2003):

"No momento, traduzo The sorry tale, discutido livro mediúnico da autora espiritual que se identificou como Patience Worth, ao escrevê-lo através da médium americana conhecida como Sra. Curran, a partir de 1918. Além de ser um fenômeno literário, a história se passa no tempo do Cristo, da noite em que ele nasceu até o dia em que foi crucificado. É espantoso o conhecimento que a autora espiritual revela da época: a geopolítica, os costumes, a sociologia, a religião, a história e tudo o mais. O tratamento respeitoso e amoroso que ela dá à figura de Jesus é comovente.

O livro é considerado um fenômeno exatamente por esse grau de erudição histórica e pelo fato de ter sido escrito num inglês um tanto arcaico, o elizabetano do século 17, que faz lembrar Shakespeare e, por isso mesmo, um desafio para o tradutor. A entidade justifica essa linguagem arcaica exatamente para provar que a obra não era da médium, uma jovem senhora dotada de escassos conhecimentos."

A coleção "A história triste" é composta pelo romance (3 volumes) e pelo livro "O mistério de Patience Worth", no qual Herminio Miranda e Ernesto Bozzano relatam o resultado de suas pesquisas a respeito do espírito que ditou o romance "A história triste".

A História Triste é um romance mediúnico com uma riqueza de detalhes que transportam o leitor por cenas geográficas e historicamente irrepreensíveis. É a emocionante história de Hatte, filho ilegítimo do imperador Tibério com Teia, escrava grega transferida para a Palestina onde, numa tenda de leprosos, fora dos muros de Belém, dá à luz na mesma noite em que Jesus vêm ao mundo. Amargurada, Teia batiza seu filho com o sugestivo nome de Hatte (ódio), sentimento que vai dominar toda a sua existência. Os caminhos destas duas crianças vão se cruzar até o fim. Considerada a melhor, mais supreendente e bem articulada narrativa ambientada nos tempos de Cristo, A História Triste recebeu elogios no exterior de críticos especializados em literatura. A edição em português do romance foi publicada em três volumes: I - Panda; II - Hatte e III - Jesus.

 


 

Transição Planetaria, leitura imprescindível ! De Manoel Philomeno de Miranda.
 
Leia também a mensagem de dr. Bezerra de Menezes sobre esse tema, aqui: Mensagem
 
 
Transição Planetaria! De Manoel Philomeno de Miranda, por Divaldo Franco.
 
 
Estamos no limiar da grande transição, em que o nosso planeta passará da condição de mundo
de provas e expiações para mundo de regeneração. Isso já constava no planejamento celestial
há muito tempo e não se dará, obviamente, num passe de mágica, pois se trata de um processo
de transformação lento e gradual, porém impostergável.
 
As tragédias naturais, como o Tsunami do Oceano Índico - objeto de nossas
considerações - fazem parte desse processo, pois elas têm o objetivo de fazer a Humanidade
progredir mais depressa, através do expurgo daqueles espíritos calcetas, refratários à ordem e
à evolução moral e espiritual, que já não podem mais ser retardadas. Eles passarão algum
tempo em outras esferas, aprendendo as leis do Amor e do Bem, até que tenham condições
de retornar ao nosso planeta, para dar seu contributo em benefício do progresso da Humanidade.
 
Trecho do livro Transição Planetária, de Manuel Philomeno de Miranda, psicografado por Divaldo P. Franco.
 
Antes das 20h, conforme os relógios terrestres, a sala se encontrava repleta.
(...) Recebêramos vagas informações a respeito do nobre Órion, que viria da constelação do Touro,
particularmente de uma das Plêiades, a fim de apresentar-nos considerações relevantes a respeito
do momentoso projeto de reencarnações em massa, conforme vinha acontecendo no amado planeta,
desde a metade do século passado, e ora se intensificaria.
(...) A seguir, solicitou ao Espírito Ivon Costa, abnegado divulgador do Espiritismo durante a primeira
metade do século passado, no Brasil, que proferisse a prece inicial.
Observei que num dos lados da mesa, a distancia regular, duas entidades femininas com longas
vestes vaporosas e alvinitentes sentaram-se ao lado de um tubo formado por tênue claridade que
descia do teto...
 
O amigo citado, visivelmente inspirado, com uma voz melodiosa como uma flauta habilmente tocada,
pôs-se em prece que acompanhamos em silêncio:
Jesus, Benfeitor nosso!
Enquanto o planeta amado estertora no seu processo de aprimoramento evolutivo, padecendo rudes
provas e expiações, arrebatando os seus habitantes em direção a sofrimentos inenarráveis, aqueles
que aqui estamos reunidos e Te amamos, suplicamos misericórdia, em face da inferioridade moral
que predomina em nossa natureza espiritual.
 
Desde há milênios que a todos nos convocas para a construção do reino espiritual nas mentes e
nos corações, sem que hajamos atendido corretamente ao Teu chamado.
... Nas culturas e civilizações antigas, desde o período dos sumérios, alguns de nós demo-nos
conta do alto significado da existência terrena, deixando-nos, porém, anestesias pelos vapores
da matéria enganosa...
 
Mais tarde, na Pérsia e em Nínive, tomamos conhecimento da Verdade e dos seus mistérios, 
para logo os abandonarmos, seguindo as turbas guerreiras de Dario ou de Salmanasar, 
conquistando terras e disseminando a morte.
A nossa foi, então, a sementeira de sangue, de orfandade, de viuvez, de ódio, e a colheita
foram as dores acerbas e sem nome na Babilônia e no Egito, que nos fascinaram com seus
templos faustosos, arrastando-nos depois para as derrotas sangrentas com Astiages e o
assassinato de Akenaton...
 
Transitamos pelos montes do Tibet e pelas planuras da Índia, repetindo as lições do Mahabarata
que nos emocionavam, sem que conseguíssemos alterar a belicosidade infeliz que nos assinalava...
A China veneranda com Fo-Hi e os seus filósofos ensinou-nos sabedoria, entretanto não nos
arrefeceu a sede alucinada de poder sobre a Mandchúria e os povos vizinhos, que também a
destroçaram várias vezes com seus carros de destruição...
Atravessamos o deserto com Moisés, como o faríamos depois com Esdra, por nobreza de Ciro
para reconstruir o templo e reerguer Jerusalém, e atacamos os filisteus e outros povos,
semeando o terror, malsinando, destruindo...
Atenas encantou-nos, desde os dias de Anaxágoras, depois, com as lições de Sócrates,
não impedindo, porém, que nos entregássemos, em Esparta, à hediondez e às lutas incessantes...
Acompanhamos Cipião, o africano, como o fizéramos com Alexandre Magno, o macedônio,
e Aníbal, o cartaginês, embora conhecedores da filosofia em torno da imortalidade e da
interferência dos deuses em nossa vida...
 
... E contigo, após ouvir-Te as lições de incomparável beleza, abandonamos a fidelidade e
convertemos a Tua doutrina em poder de mentira, luxúria, hipocrisia e desventura...
Assim, atravessamos a noite medieval, advertidos por mártires e santos, apegados à infâmia
e ao horror.
Morremos e renascemos, vezes sem conto, despertando realmente para a vida em abundância
quando as claridades do Espiritismo nos arrancaram da densa treva interior, da ignorância e do
abismo da loucura egotista...
 
Houve uma pausa comovida. Todos respirávamos ao ritmo da narração evocativa, profunda e grave.
Logo depois, prosseguiu com o mesmo timbre de voz e com a mesma emoção:
Mais de uma vez, a Tua misericórdia sacudiu a barca planetária, qual ocorreu, há pouco, através
do tsunami, demonstrando a fraqueza dos engenhos humanos e suas parcas possibilidades de
conhecer os desígnios de Deus, a fim de a todos despertar-nos em definitivo.
Novamente solicitaste o apoio de outros Espíritos para a grande transição que logo mais terá
lugar no mundo físico.
 
Permite-nos, agora, que o Embaixador de outra esfera, que estamos aguardando, possa
trazer-nos a Tua benção em nome do amor universal, a fim de que, realmente conscientes,
consigamos servir-Te com discernimento e abnegação.
Aqui estamos, genuflexos e expectantes, a Teu serviço, de coração e mente abertos à verdade.
Misericórdia, Senhor!

 


 

Veja abaixo a monumental obra de Léon Tolstoi sobre a vida cotidiana de pessoas comuns que tiveram um encontro fortuito com Jesus e mudaram as suas vidas e de pessoas a sua volta.

Pela médium Cirinéia Iolanda Maffei.

 

Arte de Recomeçar, Léon Tolstoi

Em 'Arte de Recomeçar', o autor espiritual Léon Tolstoi mais uma vez recorre a textos bíblicos
da época de Jesus, ao 'O Evangelho Segundo o Espiritismo' e as belíssimas narrativas de pessoas
anônimas, muito parecidas conosco, enfocando, de maneira esclarecedora e envolvente, o tema reencarnação.
Mergulhados em suas páginas, realizaremos uma viagem ao passado de mais de dois mil anos, identificando-nos
com os personagens, reconhecendo-nos em seus sentimentos, intuindo havermos trilhado caminhos semelhantes,
dos quais guardamos tênues reminiscências, inexplicáveis emoções, imprecisas saudades...
Mostra-nos Jesus risonho, feliz quando pode, o porquê alguns não foram curados, tudo isso pela maestria inconfundível
do espírito Léon Tolstoi.
 
 

Mulheres Fascinantes: a Presença Feminina na Vida de Jesus

Os contos desta obra revelam alguns encontros do Mestre Jesus com pessoas que, apesar de anônimas,
foram destacadas por Tolstoi neste livro. Essas inusitadas personagens nada mais são do que seres humanos
sujeitos às imperfeições encontradas em quaisquer indivíduos da atualidade. Nos encontros descritos é preciso
identificar com clareza nosso orgulho, vaidade, humildade, dor, ódio, inveja, raiva, frustração e desesperança,
bem como nossa humildade, abnegação e nosso altruísmo, latentes em nossa intimidade.
 
 
 
HOMENS NOTÁVEIS

 

 
Jesus, em sua caminhada, estabeleceu ligações que durante muitos séculos influenciaram a trajetória espiritual
daqueles que se iluminaram com sua Doutrina de Amor.
Os evangelhos descrevem esses encontros belíssimos, registrados há mais de dois mil anos e que relembram
a todo instante o eterno encanto da sabedoria do Mestre da Galiléia.
Aliando o evangelho segundo o espiritismo a textos bíblicos, o autor espiritual, Léon Tolstoi, apresenta um trabalho
literário especialmente destinado ao leitor atento 'as passagens da vida de Jesus Cristo e 'as mensagens nelas contidas.
Alem disso, Homens Notáveis é uma obra dedicada não somente aos palestrantes espíritas, mas a todos aqueles que
ministram aulas de estudo do evangelho a iniciantes espíritas e a outros tantos que se encontram indecisos quanto ao
rumo religioso a seguir.
 
 

Retratos de Nazaré

Com este livro, fecha-se o ciclo das quatro obras ditadas por Léon Tolstoi à medium psicógrafa Cirinéia Iolanda Maffei.
Daqueles encontros inesquecíveis entre Jesus e os homens, as filhos de Deus, pecadores todos que nele buscavam
o perdão, a compreensão, o amor, a cura de sus males, ficaram os relatos fiéis, como fotografias que captaram aqueles
momentos para que os registrássemos em nosas memórias. São os retratos de Nazaré. Cada com com sua célula
dramática. Cada célula dramática é uma história permeada de erros existenciais que levam ao aprendizado, nesta
escalada contínua rumo á evolução. As personagens são homens e mulheres comuns, que se tornaram notáveis e
fascinantes através das lentes de Léon Tosltoi e das mãos abençoadas de Cirinéia Iolanda Maffei. Retratos de
Nazaré: registros memoráveis das marcas indilíveis deixadas pelo NAzareno em sua caminhada entre aqueles a
quem tanto amou  e ama: nós.

 

O Evangelho segundo o Espiritismo

 

É uma das cinco obras básicas da Codificação do Espiritismo. É um livro que, conhecido e estudado, proporciona uma oportunidade excepcional de imersão em grandes temas de interesse universal, abordados de forma lógica, racional e reveladora. Divide-se em três partes: Na primeira parte, analisa a origem do planeta Terra, de forma coerente, fugindo às interpretações misteriosas e mágicas sobre a criação do mundo; Em sua segunda parte, aborda a questão dos milagres, explicando a natureza dos fluidos e os fatos extraordinários contidos no Evangelho; Na terceira parte enfoca as predições do Evangelho, os sinais dos tempos e a geração nova, que marcará um novo tempo no Mundo com a prática da justiça, da paz e da fraternidade. Os assuntos apresentados nos dezoito capítulos desta obra têm como base a imutabilidade das grandiosas Leis Divinas.

   Livros de Allan Kardec

“O Livro dos Médiuns” é uma das cinco obras que constituem a Codificação da Doutrina Espírita. Reúne “o ensino especial dos Espíritos sobre a teoria de todos os gêneros de manifestações, os meios de comunicação com o mundo invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os tropeços que se podem encontrar na prática do Espiritismo”. Apresenta ainda, na parte final, precioso vocabulário básico espírita. De leitura e consulta indispensável para os espíritas, será sempre uma preciosa fonte de conhecimento também para qualquer pessoa indagadora e atenta ao fenômeno mediúnico, que se manifesta crescentemente no mundo inteiro, dentro ou fora das atividades espíritas. Sendo os homens parte integrante do intercâmbio entre os dois planos da vida o material e o espiritual, o melhor é que conheçamos, e bem, os mecanismos desse relacionamento. “O Livro dos Médiuns” é o manual mais seguro para todos os que se dedicam às atividades de comunicação com o Mundo Espiritual.


O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO é um dos cinco livros que constituem a Codificação Espírita, conjunto de ensinamentos transmitidos por Espíritos Superiores, organizados e comentados por Allan Kardec.* Esta obra encerra a essência do ensino moral de Jesus e por isso, constitui o abrigo onde os adeptos de todas as religiões – e mesmo os que não têm religião – podem reunir-se, porquanto oferece um roteiro seguro para a nossa reforma íntima, objetivo apontado pelo Cristo como indispensável para alcançarmos a felicidade vindoura, a paz interior, essa conquista que somente a observância plena das leis divinas pode proporcionar ao Espírito na sua caminhada evolutiva para Deus. * O Livro dos Espíritos, 1857; O Livro dos Médiuns, 1861; O Evangelho segundo o Espiritismo, 1864; O Céu e o Inferno, 1865; A Gênese, 1868.

 


 Livro dos espíritos

Dos cinco livros fundamentais que compõem a Codificação do Espiritismo, este foi o primeiro, reunindo os ensinos dos Espíritos Superiores através de médiuns de várias partes do Mundo. Ele é o marco inicial de uma Doutrina que trouxe uma profunda repercussão no pensamento e na visão de vida de considerável parcela da Humanidade, desde 1857, data da primeira edição francesa. Estruturado em quatro partes e contendo 1.019 perguntas formuladas pelo Codificador, aborda os ensinamentos espíritas, de uma forma lógica e racional, sob os aspectos científico, filosófico e religioso. Independentemente de crença ou convicção religiosa, a leitura de “O Livro dos Espíritos” será de imenso valor para todos, porque trata de Deus, da imortalidade da alma, da natureza dos Espíritos, de suas relações com os homens, das leis morais, da vida presente, da vida futura e do porvir da Humanidade, assuntos de interesse geral e de grande atualidade.

 


  O Céu e o Inferno

Esta é uma das cinco obras básicas que compõem a Codificação do Espiritismo. Seu principal escopo é explicar a Justiça de Deus à luz da Doutrina Espírita. Objetiva demonstrar a imortalidade do Espírito e a condição que ele usufruirá no Mundo Espiritual, como conseqüência de seus próprios atos. Divide-se em duas partes: A primeira, estabelece um exame comparado das doutrinas religiosas sobre a vida após a morte. Mostra fatos como a morte de crianças, seres nascidos com deformações, acidentes coletivos e uma gama de problemas que só a imortalidade da alma e a reencarnação explicam satisfatoriamente. Kardec procura elucidar temas como: anjos, céu, demônios, inferno, penas eternas, purgatório, temor da morte, a proibição mosaica sobre a evocação dos mortos, etc. Apresenta, também, a explicação espírita contrária à doutrina das penas eternas. A segunda parte, resultante de um trabalho prático, reúne exemplos acerca da situação da alma durante e após a desencarnação. São depoimentos de criminosos arrependidos, de espíritos endurecidos, de espíritos felizes, medianos, sofredores, suicidas e em expiação terrestre. Livros da Codificação Espírita: O Livro dos Espíritos, 1857; O Livro dos Médiuns, 1861; O Evangelho segundo o Espiritismo, 1864; O Céu e o Inferno, 1865; A Gênese, 1868.

 


 

Cartas de uma morta

  
Livro ditado pela mãe de Chico Xavier

" As páginas que vão ler são de autoria daquela que foi, na Terra, a minha mãe muito querida.

Minha genitora chamava-se Maria João de Deus e desencarnou nesta cidade, em 29 de setembro de 1915.
Filha de uma lavadeira humilde, de Santa Luiza do Rio das Velhas, ela não pode receber uma educação
esmerada; mas todos os que a conheceram, afirmam que os sentimentos do seu coração substituíram a
cultura que lhe faltava.

Quando o seu bondoso espírito se comunicou por meu intermédio, pela primeira vez,
eu lhe pedi que me contasse as impressões iniciais da sua vida no outro mundo,
recebendo a promessa de que o havia de fazer oportunamente; e, há pouco tempo,
ela começou a escrever, por intermédio da minha mediunidade, estas cartas que vão ler. "
Chico Xavier

O LAR TERRENO ENTREVISTO DO ALÉM- trecho

" O tempo aqui não se conta pelos cronômetros terrenos, e o fenômeno
do dia e da noite é diversificado, verificando-se em lugar da treva noturna
leve diminuição de intensidades da luz solar, a qual se torna esbatida como
num dos vossos lindos crepúsculos, repletos de colorações e nuances
admiráveis, como se a luz interpenetrasse todas as coisas.
A vegetação é extremamente interessante e bizarra, em comparação
com a da Terra.
Imaginai um craveiro florescendo com suas raízes entrelaçadas na
própria atmosfera do mundo, para fazerdes uma idéia do que estou
descrevendo.
Poucas flores são mais ou menos semelhantes às dos vossos jardins e
a maioria delas vos pareceriam extravagantes à primeira contemplação;
caracterizam-se, porém, por sua indescritível e invulgar delicadeza. ''


Livro Cartas de uma Morta - Psicografia Chico Xavier

 

Os Dragões, de Maria Modesto Cravo.
Psicografia de Wanderley Soares de Oliveira

 Esse é o título do livro publicado em 2009, psicografado por Wanderley Soares de Oliveira e ditado pelo espírito Maria Modesto Cravo, que eu digo carinhosamente, que pertence a turma de Uberaba.

Esse é um dos mais importantes livros contemporâneos do espiritismo.
O tema central é a história de Matias, uma alma atormentada que serviu durante séculos aos dragões, uma comunidade organizada para o mal.
A autora espiritual tece um enredo leve e comovente no qual Matias, após o arrependimento, reencarna como médium sob orientação do Espiritismo.

A cronologia do romance revela fatos ocorridos no movimento espírita brasileiro entre os anos de 1936 a 1964, período em que ocorreu o clímax de uma ação organizada pelos benfeitores no mundo espiritual, para reencarnar milhões de corações que foram libertados de um dos mais tristes locais de maldade na erraticidade: o Vale do Poder.

Como diz a autora, muitos dos personagens da história, hoje participam como trabalhadores das casas espíritas, resgatando os seus passados. Mostra como as casas espíritas são "atacadas" nas  imprevidências dos trabalhadores, no conformismo e outras coisitas mais.
Não deixe de ler.


Mereça ser feliz, de Ermance Dufaux
psicografia de Wanderley S. de Oliveira


Considerações sobre o orgulho

Orgulho, doença moral das mais atuantes em todos nós.

Derivativo do orgulho, a comparação é um dos efeitos mais notáveis da presença do orgulho nas relações. A comparação é importante para formação de nossa personalidade e tem início na nossa infância.

Muitas vezes o orgulhoso rebaixa a importância dos outros. E isso impede as relações gratificantes e duradouras, pois estabelece uma competição íntima com o outro. A imaginação fértil atinge níveis enfermiços.O ser passa a viver mais dos seus pensamentos distorcidos do que de seus sentimentos reais. Passa a trabalhar e cuidar mais da sua máscara, do personagem que criou para si próprio, do que se sua vida real.Acaba por ter estresse, resultado da perda de energia para alimentar fantasias orgulhosas.

A preocupação com o que os outros pensam é uma neurose.Para ser aceito em determinados grupos, para receber a aprovação dos outros, cerca-se de coisas materiais. E por, muitas vezes, procurar a aprovação de pessoas também orgulhosas, cria uma cadeia de retroalimentação: um orgulhoso alimenta o outro.

Quando ouve alguém elogiando o próximo, diz “tal pessoa é boa nisso, mas..”. Em outras palavras, elogia atacando, diminuindo a competência alheia para enaltecer a sua, não raro, inexistente.

Muitas vezes, no fundo, gostaríamos de ser aquela pessoa ou ter algo dela. Isso impede a alegria das relações sinceras, pois no fundo estamos corroídos de inveja, com raiva diante da vitória alheia. Assim, assumimos o papel de fiscais do nosso próximo, procurando por deslizes, por atos que fragilizem o nosso “opositor”.

O orgulho é poderoso para nos fazer valorizar o que não somos, mas desejaríamos ser, levando a sentir e imaginar, tudo que fazemos ou temos melhor que o outro.

O orgulho é impermeável, não permite que o outro penetre a nossa intimidade. Assim terminam muitos relacionamentos.

Manter as aparências custa muito e é doloroso.

O amor-próprio é o pilar mestre das relações. Como podemos dar o melhor de nós, senão estamos bem? Autoperdão e amor-próprio são os caminhos. Sem isso não haverá harmonia nas relações e interações.

É necessária uma auto-análise com muita humildade, reconhecer os reais motivos que impulsionam as nossas ações, movimentos e decisões. Um mergulho sincero para o nosso interior. Descobrir onde estamos errando com o nosso próximo, decidirfazer a nossa mudança, sem sofrimento, nos perdoando. Sem o autoperdão não conseguiremos sair do lugar. Perseverança sempre, seguindo os ensinamentos de nosso querido Jesus Cristo. Pedindo a Ele a sua luz a orientar nossos caminhos e a nossa decisão de melhora moral.

 




Sexo e obsessão de Manoel P. Miranda

psicografia de Divaldo Franco

O grande momento está por chegar. O gargalo está cada vez mais apertado. Nós estamos mergulhados, neste planeta, em um ambiente onde ainda impera o mal sobre o bem, mas o próximo período evolutivo será do bem sobre o mal. Estamos a cada segundo sofrendo ataques que tentam nos envolver em mais dívidas. Na história da humanidade, Jesus Cristo foi o único que passou por esse planeta que não se deixou cair em tentação, mas tentativas não faltaram. Agora, imaginemos nós. Longe de nos compararmos ao Mestre, e Ele disse: ”Orai e vigiai”. Hoje acho que deva ser assim “Vigiai e orai”.

O nosso saudoso Dr. Inácio Ferreira, fundou na espiritualidade um centro de socorro só para médiuns não-completistas. Um centro socorrista para médiuns tarefeiros, mas não necessariamente tarefas em centros espíritas ou espiritualistas. Encarnados que de alguma maneira poderiam ter obtido sucesso com a sua mediunidade aliada a alguma profissão, tarefa ou atividade junto à comunidade, e assim poderiam resgatar com louvor suas dívidas. E neste momento de mudanças, que se encontra a humanidade seguindo o calendário Divino, o nosso dia-a-dia é recheado de momentos que nos pedem renúncia, lucidez, paciência, humildade, perseverança, amor, respeito, equilíbrio... Vigiai e orai. Emmanuel diz com toda a sua sabedoria que a vida é um eterno ato religioso. Eu acredito piamente nesta afirmação, e todos nós deveríamos repensar nossas vidas, nossos atos.

Entendemos a religião como um ato que só ocorre em templos, igrejas ou em momentos de reunião para esse fim. Circunscritos a poucos minutos semanalmente, mensalmente, isso quando não anualmente. Muito bem, creio que a palavra religião deveria ter hoje um novo significado. O nosso dia requer dedicação a cada segundo aos nossos atos, ao próximo, aos pensamentos, gestos. A cada passo que damos, o segundo que ficou para trás já é nosso passado. E o que ele registrou de nós? Um só desse segundo, que foi um mau pensamento, uma só má intenção, ficou registrado. E, se nos levar a cometer uma má ação, poderemos ter 1, 4, 7, várias reencarnações. Um mau pensamento direcionado pelos nossos irmaõzinhos do passado ou simpáticos a nossa invigilância de hoje. Isso só um mau pensamento em uma vida média de 60 anos. Um só, digo!!! Orai e vigiai.

O sexo tem sido um espinho cravado nas carnes da alma humana, dilacerador e contundente espículo que gera muito sofrimento.” Este trecho é do livro Sexo e Obsessão, de Divaldo P. Franco, ditado pelo espírito Manoel P. De Miranda, mas esta parte é ditada pela venerada madre Clara de Jesus. O sexo foi fator desencadeante de grandes conflitos da humanidade. Quando usado fora dos reais propósitos logicamente. O sexo é fonte de energia criadora. Depois do pensamento, é a energia mais forte que temos e que mais nos aproxima de Deus, o Criador. E somos os co-criadores do Pai, através das forças sexuais corretamente utilizadas, que harmonizam, tranqüilizam e reproduzem. E essas forças poderosas são responsáveis também pela criação das melhores expoentes das artes através dos tempos. Quando aprisionadas e mal canalizadas, explodem pelos veias da violência.

E as forças contrárias ao bem têm usado com tenacidade e ardileza o desregramento sexual para derrubar os trabalhadores que carregam a bandeira do Cristo. Principalmente os médiuns, usando as brechas, portas ainda abertas, invigilantes, dos nossos tormentos do passado.

Trazemos no nosso corpo sutil, perispiritual, as mazelas do passado, tormentos pedindo resoluções, equilíbrios. Desregramentos também de ordem sexual que ainda não conseguimos resolver. Ou outros que são hoje são usados pelo lado sexual pelo próprio momento que as facilidades do mundo “moderno” propicia. Uma pessoa pode passar a vida inteira sem que esses turbilhões aflorem. De repente, achamos que as nossas vidas com filhos e uma estrutura social ilibada, trabalhos materiais e espirituais invejáveis, está estabilizada e ganha. Então, eis que se avizinha a tempestade no horizonte. Esta pode te atingir no próprio local cristão, na forma de alma gêmea, a metade da laranja. Absurdo essas afirmações, são subterfúgios. Como pode os desígnios do nosso Deus, que é amor na sua verdadeira essência, permitir que a verdadeira pessoa de nossa vida, apareça depois de décadas, com o lar já constituído, filho e tudo mais? Pode até acontecer de maneira suave. Temos os divórcios até amigáveis, mas que são frutos de casamentos por interesses financeiros, matérias e só por um corpo físico. Oficialmente se separa o que por si só já estava separado. Mas o que acontece geralmente na sua quase totalidade dos casos é apenas sensualidade mesmo, sexo desregrado, satisfação exacerbada dos sentidos. Há séculos a humanidade luta contra os desregramentos sexuais e, por via-de-regra, reencarnamos no mesmo meio, próximos de nossos parceiros e em algum ponto da vida nos reencontramos. Quantos já perto de concluir com glória sua reencarnação caem nas tramas pacientes das forças contrárias ao bem?! Quantas pessoas maduras que, contudo ilibada, abandonam seus lares, parceiros de uma vida toda, filhos, em troca de outro da metade da idade. Parceiros bem mais jovens, de comportamentos aparentemente corretos, mas são instrumentos de interesses dessas forças. Impedindo assim de se concluir compromissos assumidos que nos levariam a vitória. Muitas vezes contra o nosso maior inimigo: Nós mesmos!!!

Quando não, se interrompe um trabalho cristão de alta relevância que não nos pertence. Todo trabalho para o bem pertence a Jesus Cristo. Todos nós, eu sei, temos lutado com esforços hercúleos para vencermos as nossas imperfeições. Por isso, a importância do vigiai e orai. Vigiar os pensamentos e orar a Deus para nos livrar do mal, pois muitas vezes não temos estrutura para lutarmos sós com o mal. Evitemos então nos encontrar com o mal, assim não somos tentados. E a mídia, os locais de diversão, Tv, internet, estão recheados disso. É só evitar. Peçamos a Deus, pois nenhum pedido sincero ao Pai fica sem resposta no universo. E as sutilezas desses desvarios vêem de onde nem imaginamos. Um desses expoentes está na nossa música popular e as suas danças. E achamos muito natural e engraçado quando nossas crianças dançam imitando esses dançarinos em frente à Tv. Colocam piercing, que são verdadeiras antenas de energias negativas, funcionam como identificadores de encarnados que poderão ser usados mais tarde.

Os valores morais estão transformados. As pessoas querem mais e melhor, os jovens estão cada vez mais a vontade para saciar um desejo indefinido, por sexo livre e à vontade, e os pais se omitem por falta de controle sobres estes ou mesmo vergonha de conversar. As portas abertas das imperfeições de centenas de reencarnações mergulhados em desregramentos morais, junto com mais desequilíbrios da casa mental, resultam em obsessão. E obsessão requer esforços gigantescos para se livrar.

Mas há perseverança, muita força de vontade e fé são os remédios. E muita leitura dos livros que poderão nos ajudar a identificarmos essa possível obsessão. Como disse Jesus: Conheça a verdade e a verdade vos libertará.” E temos que procurar ajuda também de amigos do meio cristão, do meio mediúnico que nos ajudará a reconhecer esses males. E o mais importante é o autoconhecimento. E isso se consegue com a leitura de livros edificantes e reveladores.

 


 

 

Relação de Casas e Centros espíritas e federativas estaduais.

Transição Planetária, leitura imprescindível  para entender esse tema tão fascinante e aparentemente misterioso que pessoas de várias crenças, credos e religiões

estão comentando e tentando entender de alguma forma.

Playing for Change: A Caridade pode ser exercida de várias maneiras. Conheça a Playing for Change Foundation. A Caridade através da música.

Psiquiatria e psicologia: a visão espírita: Os transtornos emocionais e psiquiátricos na visão espírita.
-Depressão
-Depressão, segunda parte
-O trabalho e os antidepressivos como terapias na depressão.

Sucesso do Além: Onda de obras ligadas ao espiritismo aumenta procura por centros e ajudam espíritas e simpatizantes a "saírem do armário".

Guia de Empregos Brasil. Vagas de trabalho em vários locais do país.

Acidente na Globo torna ator espírita: “Eu não tinha nenhuma religião. Mas sempre acreditei em Deus”.

 

HTML hit counter - Quick-counter.net