PDFImprimirE-mail

Fraco demais para chorar

AddThis Social Bookmark Button

 

Espiritismo

Siga-nos no Twitter

faceb

Et Cáritas

 

Fundação da cidade de São Paulo, Emmanuel | Manoel da Nóbrega




Nossa querida São Paulo completa, este mês, 458 anos de vida. Como sabemos, a fundação da Metrópole se deu a 25 de Janeiro de 1554 pelo grande benfeitor Manoel da Nóbrega, português que dedicou sua vida ao nosso país.
Mas, nem todos sabem, que Nobrega foi uma anterior encarnação de Emmanuel, o Mentor Espiritual de Chico Xavier que tanto aprendemos a admirar e reverenciar, informação confirmada pelo próprio Chico.

Emmanuel revelou ter sido o padre Manoel da Nóbrega numa sessão realizada em 1949. Partes da mensagem psicografada diziam: "O trabalho de cristianização, irradiado sob novos aspectos do Brasil, não é novidade para nós ... Nos azares e aventuras da terra dadivosa que parecia sem fim, aceitei a sotaina, de novo, e por Padre Nóbrega conheci de perto as angústias dos simples e as aflições dos degredados.

Intentava o sacrifício pessoal para esquecer o fastígio mundano e o desencanto de mim mesmo, todavia, quis o senhor que, desde então, o serviço americano e, muito particularmente, o serviço ao Brasil não me saísse do coração. A tarefa evangelizadora continua. A permuta de nomes não importa. Desde que conheçamos a governança e a tutela de Cristo, o nome de quem ensina ou de quem faz não altera o programa".

Reencarnado na vila portuguesa de Sanfins, em 1517, o padre ficou conhecido como "o primeiro apóstolo do Brasil", para onde veio em 1549. Ele desencarnou em 1570, 16 anos após a fundação de nossa cidade.

Foi ele que estudou e escolheu o local, quem se entendeu com os chefes indígenas Tibiriçá e Caiubi, quem inaugurou ali a catequese e o famoso Colégio, hoje Pátio do Colégio.

A propósito, o historiador paulista Tito Lívio Ferreira certa vez perguntou: "Por que teria Padre Manoel da Nóbrega escolhido esse dia para fundar a cidade de São Paulo dentro de uma Escola, fato ímpar na História do Mundo? Porque 25 de Janeiro é o dia da Conversão do Apóstolo São Paulo. Nesse caso, vemos que foi decisão de Nóbrega homenagear Paulo de Tarso, deliberadamente.

Durante quase que todo o século XX Emmanuel esteve ao lado de Chico Xavier, orientando e auxiliando na obra que o medium veio realizar, ao ponto do mesmo dizer:"Se é que eu tenha que existir, será Chico Xavier/Emmanuel, porque, de mim mesmo, em matéria de edificação espiritual, nada posso subscrever de vez que nosso benfeitor da Vida Maior é que nos supervisiona a organização medianímica. Seria eu mais do que ousado se lhe subtraísse o nome em qualquer expressão construtiva, que nos saísse dos recursos verbais, seja no transe propriamente mediúnico, tanto quanto quaisquer outras circunstâncias.

EMMANUEL foi ainda, ao tempo de Jesus, o senador Públio Lentulus e ao que se sabe, foi a única autoridade que efetuou perfeita descrição do Cristo (leia aqui) por tê-lo encontrado pessoalmente. Escreveu de proprio punho uma célebre carta onde descrevia Jesus e as impressoes que Ele lhe havia causado, publicada depois em numerosas línguas, e guardada até hoje no Vaticano.

Nossa cidade, São Paulo tem, portanto, muitas alegrias a comemorar neste dia 25. A dedicação e amor de quem nos fundou há 458 anos, Manoel da Nobrega, o comprometimento deste mesmo grande Espírito na Evangelização de nosso país até os dias de hoje e ainda o nome que nos designa a existência, que homenageia simplesmente o apóstolo Paulo, amado e respeitado por todos os cristãos como um exemplo de fé. Parabéns, cidade de São Paulo, por seus 450 anos de vida e que tenhamos um belo futuro pela frente!


Emmanuel, tem uma gratidão enorme por Paulo, leia abaixo.

O confrade Clóvis Tavares no livro "Amor e Sabedoria de Emmanuel", nos fala de uma mensagem de Emmanuel, recebida em Pedro Leopoldo, no dia 13 de março de 1940, que trata sobre o encontro do senador Públio Lentulus com o apóstolo Paulo em Roma.

Emmanuel conta que este encontro se deu pouco depois da trágica desencarnação de Lívia, quando o espírito do senador ainda se encontrava bastante atormentado. Em dos trechos da mensagem Emmanuel relata:

" (...) As palavras de Paulo eram firmes e consoladoras. O grande convertido não conhecia a úlcera que me sangrava o coração, todavia, as suas expressões indiretas foram, imediatamente, ao fundo de minh'alma, provocando um dilúvio de emoções e de esclarecimentos."

Na espiritualidade o grande convertido de Damasco que sempre se dedicou a amparar "as grandes inteligências afastadas do Cristo, compreendendo-lhes as íntimas aflições e o menosprezo injusto de que se sentem objeto no mundo, ante os religiosos de todos os matizes, quase sempre especializados em regras de intolerância", prometeu auxiliá-lo em suas posteriores existências terrenas.

Talvez seja por isso que em gratidão a este gigante do evangelho, o padre Manoel da Nóbrega chegou a adiar a inauguração do Colégio de Piratininga, a que deu o nome de "São Paulo", para o dia da conversão do Apóstolo, comemorado em 25 de janeiro.

Desencarnou no Rio de Janeiro, no antigo Morro do Castelo, em 18 de outubro de 1570, ao completar 53 anos de idade, vítima de tuberculose.

Podemos dizer que Emmanuel é na atualidade - sem sombra de dúvida -, um dos mais valorosos espíritos encarregados de propagar a Terceira Revelação na Terra. Mentor Espiritual responsável pela obra mediúnica de Francisco Cândido Xavier, escreveu mais de 100 livros que tratam dos mais diversos assuntos entre Filosofia, Ciência, Literatura, e principalmente Exortações Evangélicas, sendo orientador também de diversos espíritos, como André Luiz, do qual prefaciou vários livros.

Fontes: http://www.folhaespirita.com.br/

http://www.espirito.org.br


 

Nosso site participa do Blog Action Day, todo ano no mês de outubro. E esse ano o tema é "Fome".

Participamos com essa matéria da Folha de SP.

 

Nessa reportagem da Folha São Paulo, 14/8/11, mostra o cenário de abandono do povo somali e o silêncio das autoridades internacionais.

Mas nós, aqui no Brasil, podemos fazer preces por eles. Isso podemos fazer em qualquer momento, sempre que nossos corações se apiedarem

desses irmãos.

 

Fraco demais para chorar

Vítimas da fome, crianças refugiadas na Somália não têm força nem para choro

Andre Liohn/Folhapress

Mulher segura criança com desnutrição no Hospital Benadir, em Mogadício, na Somália

MARCELO NINIO/Folha São Paulo 14/8/11
ENVIADO ESPECIAL A MOGADÍCIO (SOMÁLIA)

Um silêncio perturbador domina o campo de refugiados de Badbaabo, o maior de Mogadício, capital da Somália. Surpreendentemente, o choro de criança é raro.
Apesar do estado agudo de desnutrição de milhares de pessoas precariamente acampadas em tendas feitas com galhos de árvores, o instinto infantil mais básico parece ter sido derrotado.
"Ela tem muita fome, mas acho que ficou fraca demais para chorar", diz Shukri Mohamed, 28, embalando seu bebê de oito meses. Pele e osso, a criança tem os olhos vidrados, indiferente ao bando de moscas que passeiam sobre seu rosto.
O silêncio dos refugiados é produto da debilidade física, mas também da impotência diante de um desastre natural agravado por duas décadas de guerra civil na Somália e pelo atraso das agências internacionais em reagir.
Vivendo a pior seca em 60 anos, a região conhecida como "Chifre da África" fez ressurgir as imagens das crianças etíopes esqueléticas que comoveram o mundo no meio da década de 80.
Mergulhada em caos e dividida entre um governo inoperante e o fanatismo da milícia islâmica Shabab, a Somália é o testemunho mais eloqüente de uma combinação mortal: tragédia climática, escalada nos preços de alimentos e conflito armado.
Grande parte do território do país é controlado pela milícia islâmica, que dificulta o deslocamento populacional e impede a chegada de assistência humanitária, alegando que as organizações ocidentais são "antiislâmicas".
Somente nos últimos três anos, foram assassinados 14 funcionários do PMA (Programa Mundial de Alimentação), principal fornecedor de ajuda alimentar na região.
Reféns da insana disputa armada que rachou o país e do temor da comunidade internacional em atuar num território sem lei, a população é presa fácil da seca.
Os rostos da fome na África, estampados em jornais do mundo inteiro, contam apenas parte da história. Em muitos casos, o fim. Iman Abdi Noono, 60, caminhou com a família durante dez dias até Mogadício para escapar da seca que aniquilou o rebanho de 30 vacas e 60 ovelhas que garantiam sua subsistência no distrito de Bu"ale (sul).

Para driblar os achaques do Shabab, que controla a região sul, a mais atingida pela seca, Iman foi obrigado a fazer uma rota alternativa. O desvio prolongou a caminhada e o sofrimento.
Agachado dentro de uma barraca no campo de refugiados, ele conta que viu seis de seus nove filhos morrer de fome no caminho.
"Carreguei o último nas costas e achei que iria salvá-lo. Mas ele morreu pouco depois de chegarmos a Mogadício", lamenta, em voz baixa.
Até algumas semanas atrás, o campo de Badbaado era apenas mais uma área em ruínas de Mogadício. Hoje abriga cerca de 30 mil refugiados internos, que se alinham em longas filas à espera de rações oferecidas por organizações humanitárias.

As tradicionais vestes islâmicas em tons fortes de amarelo, verde, vermelho e outras cores berrantes, contrastam com o semblante soturno das mulheres somalis.
De acordo com o PMA, 200 mil somalis chegaram à capital nos últimos dois meses fugindo da seca. Em sua maioria gente simples, que perdeu o pouco que tinha e ainda teve que deixar para trás parte da família.
Fatma Maha, 32, que aparenta ter pelo menos dez anos a mais, tinha chegado no mesmo dia a Mogadício. Com uma bacia de metal na mão, esperava na fila para receber um punhado de arroz que mal daria para alimentar os quatro filhos que conseguiu levar à capital.
"Deixei os dois mais velhos para trás com meu marido, porque não tive dinheiro para pagar a viagem de caminhão", diz Fatma, explicando que o motorista cobrou algo em torno de R$ 0,15 por passageiro. "Foi muito difícil, mas precisava salvar os mais novos".


Tragédia anunciada
Nas últimas três semanas, as estradas esburacadas de Mogadício passaram a ser rota do tráfego intenso de caminhões com comida e medicamentos destinados a aplacar a crise.
Embora os sinais de um desastre iminente na Somália terem começado a ser emitidos em novembro pelo sistema de alerta contra a fome do governo americano (FEWS NET), a ONU só declarou estado de emergência na região no início de julho.
A demora foi fatal para dezenas de milhares de crianças e adultos que o PMA estima terem morrido na Somália em conseqüência da seca nos últimos três meses. Segundo a agência, mais 10 mil poderão morrer no sul do país até o fim do mês.

 

Transição Planetária, leitura imprescindível  para entender esse tema tão fascinante e aparentemente misterioso que pessoas de várias crenças, credos e religiões

estão comentando e tentando entender de alguma forma.

Playing for Change: A Caridade pode ser exercida de várias maneiras. Conheça a Playing for Change Foundation. A Caridade através da música.

Psiquiatria e psicologia: a visão espírita: Os transtornos emocionais e psiquiátricos na visão espírita.
-Depressão
-Depressão, seg. parte
-O trabalho e os antidepressivos como terapias na depressão.

Sucesso do Além: Onda de obras ligadas ao espiritismo aumenta procura por centros e ajudam espíritas e simpatizantes a "saírem do armário".

Acidente na Globo torna ator espírita: “Eu não tinha nenhuma religião. Mas sempre acreditei em Deus”.

Vídeos: Chico Xavier, Filme Nosso Lar, Divaldo Franco.

Cordões de ligação: Veja as influências energéticas com pessoas que nos separamos a anos.

Palavras de Emmanuel e André Luiz: Mensagens de ânimo.

Livro dos Espíritos: Seleção de perguntas e respostas do Livro dos Espíritos.

-P.: Como podemos julgar da liberdade do Espírito durante o sono?