PDFImprimirE-mail

PVBLIVS LENTVLVS

AddThis Social Bookmark Button


Espiritismo

Siga-nos no Twitter

faceb

 

 

CARTA DE PVBLIVS LENTVLVS

Emmanuel

ENTRE OS DEPOIMENTOS, sobre Jesus, os do Ciclo de Pilatos, parecem os mais curiosos e interessantes, objectos de intensa piedade popular ao longo dos tempos. Um dos textos deste Ciclo é a Carta de Públio Lêntulo, que descreve Jesus. Foi produzida por um certo Lentulus, romano, sendo ''oficial de Roma na província da Judeia no tempo de Tiberius Cæsar'', ou, como no preâmbulo original em Latim, "Lentulus habens officium in partibus Iudeae herodis ad senatores romanos hane epistolam deferre iussit" (Goodspeed).

ESTA personagem não pôde ser identificada; o mais perto que podemos chegar é à menção de um ''Volusiano, familiar de Tibério'' (suo familiari nomine Volusiano), pois os Volusiani surgiram do casamento entre Lúcio Volúsio Saturnino (cônsul sufeta em 3 EC, e já bastante idoso) e Cornelia Scipionum Gentis, filha de Lúcio Cornélio Lêntulo (cônsul em 3 AEC). No Ciclo de Pilatos, este Volusiano tem papel de relevo no afastamento e morte de Pilatos, cf. Otero, Los Evangelios Apocrifos pag. 496: ''Muerte de Pilatos, el que condenó a Jesus''. Veja Volusiano.

PUBLIUS Lentulus, conhecido apenas no fragmento de sua Carta, era o segundo homem mais preeminente do Estado, logo abaixo do imperador. Se desapareceu dos registros foi por nunca ter feito nada em favor de pessoa alguma. Parasita social, instala-se e acomoda-se no seu patriciado, do qual pode gritar, "Ele [Jesus] afirma publicamente que os reis e escravos são iguais".

DIVULGOU-SE a Carta sob o patrocínio de Innocêncio IV, Papa (1454). Outros nomes atribuídos ao autor seriam, Publeus Lentulus, ou, FABRICIUS PUBLIUS LENTULUS, ou, Publius Lucius [Lucius Publius Lentulus], dito também ''procônsul romano na Judeia'' ou mesmo ''regente em Judeia para o senado e o povo romanos''. No Veredicto, há um Públio ou Público.

A CARTA concorda com o Mandilion, antiga pintura de Jesus existente no Oriente; com S.Jo.Damasceno (último Pai da Igreja), com Nicéforo Calixto (Carta a Roma: ''sobrancelhas negras e um pouco arqueadas. Seus olhos, da cor da azeitona, brilhavam de modo admirável. Os cabelos eram bem longos: navalha nem mão jamais tocaram-lhe a cabeça. Nunca apresentava ar de arrogância. A seriedade, a prudência e a serenidade irmanavam-se e resplandeciam em seu semblante''), bem, todos esses elementos são antigos, ca. séc. V; a seguir, durante o Renascimento, a Carta recebeu sua forma final.

SEGUNDO o manuscrito de Iena, um determinado Giacomo Colonna [cardeal, um dos homens mais preeminentes da Igreja em seu tempo] encontrou a Carta em 1241 [morreu em 1278] em um original romano antigo emitido de Constantinopla a Roma. Outras datas de achamento, 1280, 1580, séc. XVII... ''Deve ser de origem grega'', foi dito; traduzido ao latim ca. sécs. XIII-XIV. Recebeu sua forma actual nas mãos dos humanistas dos sécs. XV-XVI: alguns falam em Petrarca.

ALEM de concordar com Nicéforo e J.Damasceno, concorda com o ''Retrato de Abgar'' [de Hanan] e o Livro dos Pintores do monte Atos, obras cujo estilo muito antigo remontam ao período pré-bizantino da arte, a bem dizer - romano (sécs. I-III).

A LONGA linhagem de cardeais inicia em 1192 (Giovanni Colonnese, cardeal de S. Prisca, sob

LENTULUS NO CICLO DE PILATOS

A CARTA de P.Lentulus faz parte do Ciclo de Pilatos, de facto, conservado primeiro em grego, citado por Tertuliano que menciona por alto ter Tibério se informado acerca de Jesus. Justino, no sec. II, já conhecia este documento (Apologia I).

RESCRITAS DA CARTA DE PUBLIO LENTULO

1. - ''Existe nos nossos tempos um homem, o qual vive atualmente, de grandes virtudes, chamado Jesus, que pelo povo é inculcado profeta da verdade e os seus discípulos dizem que é filho de Deus, criador do Céu e da Terra e de todas as coisas que nela se acham e que nela tenham estado; em verdade, cada dia se ouvem coisas maravilhosas desse Jesus; ressuscita os mortos, cura os enfermos; em uma só palavra: é um homem de justa estatura e é muito belo no aspecto. Há tanta majestade no rosto, que aqueles que o vêem são forçados a amá-lo ou a teme-lo. Tem os cabelos da cor da amêndoa bem madura, distendidos até às orelhas e das orelhas até às espáduas, são da cor da terra, porém mais reluzentes. Tem no meio da sua fronte uma linha separando os cabelos, na forma em uso nos Nazarenos; o seu rosto é cheio, o aspecto é muito sereno, nenhuma ruga ou mancha se vê em sua face de uma cor moderada; o nariz e a boca são irrepreensíveis. A barba é espessa, mas semelhante aos cabelos, não muito longa, mas separada pelo meio; seu olhar é muito especioso e grave; tem os olhos graciosos e claros; o que surpreende é que resplandecem no seu rosto como os raios do sol, porém ninguém pode olhar fixo o seu semblante, porque quando resplende, apavora, e quando ameniza faz chorar; faz-se amar e é alegre com gravidade. Diz-se que nunca ninguém o viu rir, mas, antes, chorar. Tem os braços e as mãos muito belos; na palestra contenta muito, mas o faz raramente e, quando dele alguém se aproxima, verifica que é muito modesto na presença e na pessoa. É o mais belo homem que se possa imaginar, muito semelhante à sua mãe, a qual é de uma rara beleza; não se tendo jamais visto, por estas partes, uma donzela tão bela...

De letras, faz-se admirar de toda a cidade de Jerusalém; ele sabe todas as ciências e nunca estudou nada. Ele caminha descalço e sem coisa alguma na cabeça. Muitos se riem, vendo-o assim, porém em sua presença, falando com ele, tremem e admiram. Dizem que um tal homem nunca fora ouvido por estas partes. Em verdade, segundo me dizem os hebreus não se ouviram, jamais, tais conselhos, de grande doutrina, como ensina este Jesus; muitos judeus o tem como Divino e muitos me querelam, afirmando que é contra a lei de tua Majestade.

Diz-se que este Jesus nunca fez mal a quem quer que seja, mas, ao contrário, aqueles que o conhecem e com ele têm praticado, afirmam ter dele recebido grandes benefícios e saúde.

2. - ''SABENDO que desejas conhecer quanto vou narrar, existindo nos nossos tempos um homem, que vive atualmente, de grandes virtudes, chamado Jesus, que pelo povo é inculcado o profeta da verdade; e os seus discípulos dizem que é filho de Deus, criador do céu e da terra e de todas coisas que nela se acham ou, que nela tenham estado; em verdade, ó César, cada dia se ouvem coisas maravilhosas deste Jesus: ressuscita os mortos, cura os enfermos, numa palavra, - é um homem de justa estatura e muito belo no aspecto e, há tanta majestade no rosto, que aqueles que o vêem são forçados a temê-lo ou amá-lo. Tem os olhos da cor da amêndoa bem madura, são distendidos até a orelha e, da orelha até os ombros, são da cor da terra, porém, mais reluzentes. Tem no meio da sua fronte uma linha separando o cabelo, na forma de uso entre os Nazarenos. O seu rosto é cheio, o aspecto é muito sereno, [...] [muito parecido com sua mãe, que é de peregrina beleza, uma das belas mulheres da Palestina]

''A BARBA é espessa, semelhante ao cabelo, não muito longa, mas, separada pelo meio; seu olhar é muito afetuoso e grave; tem os olhos expressivos e claros, [o que surpreende é que resplandecem no seu rosto como os raios do sol ...] [porém ninguém pode olhar fixamente o seu semblante porque, quando resplende, apavora, quando ameniza, chora; faz-se amar e é alegre com gravidade].

''DIZEM que nunca ninguém o viu rir [em público], mas, antes, chorar. [...] Na palestra, contenta muito, mas, o faz raramente e, quando dele nos aproximamos, verificamos que é muito modesto na presença e na pessoa. Se a majestade tua, ó César, deseja vê-lo, como no aviso passado escreveste, dá-me ordens, que não faltarei de mandá-lo o mais depressa possível. [... ] [tenho sido grandemente molestado por estes judeus] Caminha descalço e sem coisa alguma na cabeça. Muitos se riem, vendo-o assim, mas, em sua presença, falando com ele, tremem e admiram. Dizem que um tal homem nunca fora ouvido por estas regiões. Em verdade, segundo me dizem os hebreus, não se ouviram jamais tais conselhos, de grande doutrina, como ensina este Jesus; muitos judeus o têm como divino, mas, outros me querelam, afirmando que é contra a lei da tua majestade [...] Dizem que este Jesus nunca fez mal a quem quer que seja, mas, ao contrário: aqueles que o conhecem e que com ele têm praticado afirmam ter dele recebido grandes benefícios e saúde, porém, à tua obediência estou prontíssimo, aquilo que tua majestade ordenar será cumprido. Salve. Da tua majestade, fidelíssimo e obrigadíssimo. Publius Lentulus, presidente da Judeaia. Indicção sétima, lua segunda.''

2. - ''LENTULUS, presidente de Jerusalém, ao Senado e ao povo romano, cumprimentos. Apareceu em nossa época, e ainda vive, um homem de grande poder, chamado Jesus Cristo. Os povos chamam-no profeta da verdade; seus alunos, filho de Deus. Levanta os mortos, e cura enfermidades. E' um homem de estatura mediana (procerus, mediocris et spectabilis de statura); tem um aspecto venerável, e quem o olha, tem medo ou amor. Seu cabelo é da cor da amêndoa madura, reto às orelhas, mas abaixo das orelhas ondulados e cacheados, com um reflexo brilhante, caindo sobre seus ombros. É partido em dois no alto da cabeça, no uso dos nazarenos. Sua testa é lisa, rosto sem rugas, alongado. Seus nariz e boca sem falha. Barba abundante, da cor do cabelo, não longa, mas dividida no queixo. Seu aspecto é simples e digno, seus olhos refulgem. É terrível em suas reprimendas, doce e amigável em suas admoestações, gracioso sem perda da gravidade. E' conhecido por nunca sorrir, mas chora freqüentemente. Corpo bem proporcionado, mãos e braços bonitos. Sua conversação é sábia, infrequüente [fala pouco], e modesta. E' o mais bonito entre os filhos dos homens.''

3. - ''[...] ULTIMAMENTE, apareceu na Judeia um homem de estranho poder, cujo verdadeiro nome é Jesus [Cristo], mas, a quem o povo chama ''O Grande Profeta'' e seus discípulos, ''O Filho de Deus''. Diariamente contam-se dele grandes prodígios: ressuscita os mortos, cura todas as enfermidades e traz assombrada toda Jerusalém com sua extraordinária doutrina. É um homem alto e de majestosa aparência [...]; cabelo da cor do vinho, desce ondulado sobre os ombros; dividido ao meio, ao estilo nazareno. [...] Barba abundante, da mesma cor do cabelo; [...] as mãos, finas e compridas; olhos claros, [plácidos e brilhantes]. É grave, comedido e sóbrio em seus discursos. Repreendendo e condenando, é terrível; instruindo e exortando, sua palavra é doce a acariciadora. Ninguém o viu rir, mas, muitos o viram chorar. Caminha com os pés descalços e a cabeça descoberta. Vendo-o à distância, há quem o despreze, porém, em sua presença não há quem não estremeça com profundo respeito. Quantos se acerquem dele, afirmam haver recebido enormes benefícios, mas há quem o acuse de ser um perigo para a tua majestade, porque afirma publicamente que os reis e escravos são iguais perante Deus'' (do ciclo de Pilatos, achado em Aquileia em 1580).

RELEMBRANDO ser composta de diversos fragmentos com origens diferentes.

GAMALIEL: O seu rosto é cheio, o aspecto é muito sereno, [...] [muito parecido com sua mãe, que é de peregrina beleza, uma das belas mulheres da Palestina].

S. JOÃO Damasceno: Jesus, que pelo povo é inculcado o profeta da verdade; e os seus discípulos dizem que é filho de Deus, criador do céu e da terra e de todas coisas que nela se acham ou, que nela tenham estado; em verdade, ó César, cada dia se ouvem coisas maravilhosas deste Jesus: ressuscita os mortos, cura os enfermos... [editou, Paulo Dias]

Esta, na íntegra e outras preciosidades, você encontra para download em Autores Espíritas Clássicos.


Leia mais sobre Emmnauel aqui

 

Transição Planetária, leitura imprescindível  para entender esse tema tão fascinante e aparentemente misterioso que pessoas de várias crenças, credos e religiões

estão comentando e tentando entender de alguma forma.

Playing for Change: A Caridade pode ser exercida de várias maneiras. Conheça a Playing for Change Foundation. A Caridade através da música.

Psiquiatria e psicologia: a visão espírita: Os transtornos emocionais e psiquiátricos na visão espírita.
-Depressão
-Depressão, seg. parte
-O trabalho e os antidepressivos como terapias na depressão.

Sucesso do Além: Onda de obras ligadas ao espiritismo aumenta procura por centros e ajudam espíritas e simpatizantes a "saírem do armário".

Acidente na Globo torna ator espírita: “Eu não tinha nenhuma religião. Mas sempre acreditei em Deus”.

Vídeos: Chico Xavier, Filme Nosso Lar, Divaldo Franco.

Cordões de ligação: Veja as influências energéticas com pessoas que nos separamos a anos.

Palavras de Emmanuel e André Luiz: Mensagens de ânimo.

Livro dos Espíritos: Seleção de perguntas e respostas do Livro dos Espíritos.

Leia mais sobre Emmanuel, aqui.